25 outubro, 2007

DEMÉTER, A DEUSA MÃE....






Recebi ontem um depoimento no orkut de uma amiga, a Márcia, que tem um blog muito bacana (http://www.oca-oficinadecomunicaoalternativa.blogspot.com/ ) dizendo que eu era "uma Deméter". Pergunteo o que queria dizer isso, e ela falou que eu ia ter que pesquisar...


E não é que eu pesquisei? E adorei!!!




Deméter: Deusa das colheitas, dispensadora dos cereais e dos frutos, negou seus dons quando Zeus permitiu que Hades lhe levasse a filha, Perséfone, para o inferno. Houve fome até que se chegou a um acordo.
Perséfone só passaria no inferno um terço do ano. Deméter se abrandou e as colheitas tornaram a florescer.
Deusa da fertilidade e patrona dos mistérios na mitologia grega, Deméter é sempre desenhada na figura de uma mulher bonita, madura e séria. Seus símbolos são espigas de milho e uma tocha...


Indica ainda, o oculto, misterioso ou paranormal. Deméter ou a grande mãe, é representada pela lua cheia, é a deusa mãe, o grande ventre da Terra, símbolo do amor incondicional, da energia e da afetuosidade.
Quando Deméter está no sentido invertido, expressa como todas as outras cartas, traços negativos, superstição, exacerbada, esterilidade, experiência sem sucesso, sentimento de posse pelos filhos em excesso ou abandono do dever e futilidade.




Outra referência de Deméter, tirado de um site sobre rituais Wicca:


Não é difícil achar Deméter, pois ela sempre estará rodeada de crianças. É aquela faz e distribui o pão, que passa a noite acordada cuidando do filho doente, que cozinha, que lava e passa e que ainda tem reservas inesgotáveis de energia. Deméter é mais que uma mãe biológica, pois não é ter filhos que a faz mãe, é sua atitude, sua maneira instintiva de cuidar de tudo que é pueril, pequeno, carente e sem defesa. Deméter é pura dedicação e doação, sentimentos que conhecemos como "carinho de mãe".


É importante dizer que há algo de singular no carinho materno de Deméter. Isso não quer dizer que as outras deusas não possam ser mães, mas para Deméter ser mãe é tudo. Afrodite é uma mãe sensual que adora vestir os filhos e "curtir" um cinema. As Artemis tem uma meiguice selvagem e tratam seus filhos como filhotes de fera. Atena mal pode esperar que eles falem para conversar e estimular sua educação. Perséfone também é profundamente envolvida com os filhos, mas de maneira mais psíquica eintuitiva. A mãe Hera é tão cheia de regras, censuras e expectativas que resta pouca ternura para criar seus filhos. Somente Deméter se identifica plenamente com a maternidade, quase à exclusão dos outros interesses.
Ela é tão envolvida com o fato de ser mãe que não arranja tempo para comprar um vestido novo, ir ao cabeleireiro e outras atividades que toda a mulher gosta de fazer para si mesma. Deméter se sente totalmente realizada fazendo o que faz, sendo mãe.


O instinto para acalentar que existe em Deméter pode ser facilmente identificado em meninas brincando com bonecas. Uma vez jovem, Deméter é tão identificada com a mãe, que haverá uma relação quase simbiótica entre ambas.Mas por mais belo que pareça este quadro de Deméter se realizando como mãe, ele está muito longe de ser uma realidade para a maioria das mães modernas. As pressões físicas e econômicas da mera subsistência tendem a exigir que as mulheres grávidas trabalhem até o dia do parto. Ficam licenciadas por um determinado tempo e são obrigadas a retornarem ao trabalho, sem a menor possibilidade de dar a devida atenção aos seus bebês.




A MÁRCIA ESTAVA CERTA! EU ME ENCONTREI COMO DEMÉTER.


ENCONTREI DEMÉTER DUAS VEZES: PRIMEIRA QUANDO A MARINA E O MAURÍCIO VIERAM MORAR COMIGO


E AGORA, QUANDO NASCEU A SOFIA.


A DIFERENÇA É QUE COM A SOFIA PUDE ME ENTREGAR POR INTEIRO, DIANTE DA FRAGILIDADE DAQUELE PEQUENO SER; PUDE PARÍ-LA, AMAMENTÁ-LA, DAR-LHE, ALÉM DO MEU LEITE, TODO O MEU ÂMAGO, A MINHA INTENÇÃO, A MINHA ATENÇÃO...




E SABEM O QUE É LEGAL? DESCOBRI A MULHER QUE EU SEMPRE BUSCAVA.


DESCOBRI UM SENTIDO PARA A VIDA


NASCI COMO MULHER E COMO DEUSA: A DEUSA DEMÉTER... A DEUSA MÃE... A QUE FLORESCE A NUTRIÇÃO...


E, MESMO COM AS INTENPÉRIES DA MODERNIDADE, DAS DIFICULDADES DE SER MÃE NO MUNDO MODERNO, A MATERNIDADE SÓ ME ACRESCENTOU, E FIZ A ESCOLHA DE ESTAR COM MINHA FILHA: A SABEDORIA... A DOCE SOFIA...

4 comentários:

Marcia Gonçalves disse...

Sua benção, Mãinha!

Anônimo disse...

oi
meu nome é Shayane e a poco tempo descobri q tambem sou uma deméteria
e foi procuarndo sobre ela q encontrei seu site e ela é showw
entra em contato comigo pra gente conversar sobre ela e outros assutos o meu msn é esse sh414n3@hotmail.com e o meu orkut é esse
http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=13384244083436015717

cristiane disse...

quando eu li a historia de persefone amei mesmo wightile

Anônimo disse...

Achei muito interessante a caracterização dos värios tipos de mães, seria muito saudävel para a formação dos futuros cidadãos de nosso païs que as mães pudessem se dedicar a sua formação quando pequenos, sem culpas ou cobranças mas por amor, pelo amor incondicional, muitos desvios de personalidade ou problemas sociais seriam evitados. Parabëns por sua pesquisa e dedicação a sua filha!
Telma